ILHA DO SAL, O ENCANTO CABO VERDIANO


Descoberta em 1460 pelo português Diogo Afonso e o italiano Antonio di Noli, esta ilha inicialmente batizada de LLana, depressa ganhou o nome de Sal, devido à forte exploração do sal.

A 4/5 horas de voo da Europa, as praias, o tempo quente mesmo no Inverno e a simpatia do povo, tornam esta ilha uma atração.

Informações importantes:

– A entrada na ilha obriga a ter um visto que custa 25 euros;

– Não precisa de trocar dinheiro, porque o euro é aceite, pode é acontecer pagar algo em euro e receber o troco na moeda local;

– tem que comer peixe fresco que chega todos os dias ao pontão de Santa Maria e provar os pratos tradicionais, como cachupa, caldo de peixe, lapas… sem esquecer de beber grogue, a bebida típica da ilha, que é aguardante de cana;

– não deixe de dançar a morna e aproveite também para aprender ou mostrar os seus dotes no funaná;

– fazer um tour pela ilha;

– fazer voluntariado nos bairros mais desfavorecidos. Eu optei por ir comprar comida ao supermercado e depois fui de porta em porta entregar a algumas famílias. Existem zonas onde a pobreza é mesmo notória e pode ser “chocante” para os mais sensíveis…

O que visitar:

– O “Olho Azul” que é uma zona de piscinas naturais de água transparente e quando o sol reflete, o azul faz lembrar um olho.

O tempo estava nublado e não permitiu ver o efeito “olho”

– A Buracona, piscinas naturais formadas com a força do mar na rocha vulcânica.

O mar estava muito agitado, por isso não deu para dar um mergulho

– As Salinas de Pedra Lume onde pode tomar um banho relaxante e flutuar numa água 26 vezes mais salgada que a água do mar.

O vento era tanto neste dia, que poucos foram os que se aventuraram a entrar na água

– A vila da Palmeira onde se encontra o principal porto da ilha e onde todos os dias chega peixe fresco.

– A praia onde se vê o tubarão-gato. Nos dias bons, eles vêm quase até à rebentação e ai consegue vê-los melhor.

– Passear por Espargos, a capital da ilha, onde vê o verdadeiro ritmo da ilha.

Espargos ao fundo. Até o cão entrou no espírito descontraído dos cabos verdianos.

– Visitar Santa Maria, a zona mais turística da ilha e onde se concentram os hotéis e as discotecas da moda.

Pelas ruas de Santa Maria

Só faltou mesmo o sol…

No mercado de Santa Maria com uma simpática vendedora

E deixe-se ir na onda, descanse, dance, mergulhe ou não faça nada e seja apenas feliz!

Adoro o pormenor do letreiro!

Santa Maria dá para fazer bem a pé

Água quente e limpa, que mais se pode pedir?

Riu Funaná, uma boa opção de hotel!

A fé bem presente

A parte mais triste da ilha do Sal…

E o dia vai terminando… E aqui fui feliz…

#asia #africa #blogger #caboverde #capvert #espargos #ilhadosal #passaport #photo #santamaria #sun #travel #travelblogger #traveling #world

Posts Em Destaque
Posts Recentes